segunda-feira, 28 de maio de 2012

Nascidas para Sufrir

Ontem tive o prazer de assistir este belo filme em um canal a cabo especializado em filmes Cult. "Nascidas para sufrir" (é assim mesmo que se escreve), é o título desta bela fita que narra a história de Flora, uma solteirona que mora numa aldeia na Espanha e que dedicou (pelo menos é o que ela diz) sua vida a cuidar de outros. Sua única irmã morreu ainda jovem em um acidente automobilístico junto com o marido, ela assumiu a criação das três sobrinhas, agora adultas. Aos 73 anos, seu  medo é que as ditas sobrinhas a coloquem  num asilo. Desconfiada das jovens, a única pessoa na qual Flora realmente confia é a sua devotada empregada Purita. A moça (na verdade uma quarentona) trabalha incansavelmente e lhe é  dedicada há anos, logo Flora decide que quer deixar seus bens para Purita. Ao consultar um advogado pretendendo adotá-la, descobre que são muitos os trâmites e é aconselhada a tomar uma medida mais simples e singular para garantir que sua vontade seja feita: casar com Purita.
 Por tudo de melodrama que um título desses poderia evocar, Nascidas para Sufrir revelou-se outra  surpresa. Leva um pouco de tempo para pecebermos que tal título  é na verdade, uma grande ironia, já que a personagem Flora vive repetindo que é tão boa e se sacrificou tanto pelos outros. E é justamente por ela ser tão insistente nessa lamúria que nos perguntamos se as coisas realmente são como ela descreve. Sua relação com Purita joga ainda mais lenha na fogueira, pois ao mesmo tempo em que ela parece tiranizar a passiva empregada, fica a dúvida se também Purita seria a coitadinha que parece. Enfim, neste roteiro habilidoso e sujeito a várias interpretações interpretações (gosto muito quando a coisa é assim), o espectador vai mudando sua opinião a respeito dos personagens o tempo todo. Com uma série de reviravoltas pequenas e significativas ao longo do filme, toda vez que pensamos que a trama está a ponto de se estabilizar, novos fatos balançam o rumo da história.
 Com um ritmo ágil, boas interpretações e direção segura, Nascidas para Sufrir é um retrato muito interessantíssimo das relações pessoais e uma inteligente anedota em cima do velho mote da luta de classes. Divertido na superfície, mas também contundente em vários aspectos.  Vale a pena conferir este novo trabalho!

1 Comentários:

Às 16 de junho de 2012 12:13 , Blogger enrico disse...

Parabéns pelo teu blog, Jeferson, Perfeito! fazes uma abordagem sobre todos os assuntos de uma forma q adorei....virei sempre!!!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial